Tag planejamento estratégico

Tag planejamento estratégico

Planejamento Estratégico: Descubra os Benefícios e Aprenda Como Fazer em 10 Passos

Tags: Artigos, Mercado

O planejamento é um processo sistêmico que identifica as melhores condições e formas para se conquistar o sucesso. Descubra agora os benefícios e aprenda como fazer um Planejamento Estratégico em 10 passos!

Planejar estrategicamente tem basicamente a mesma função de um GPS: é o roteiro que guia a definição de metas e ações necessárias e concretas para alcançá-las. Mas, também analisa cenários e recursos disponíveis, servindo como base para inovação e adaptação em um mercado em constante mudança.

Dessa forma, podemos entender que qualquer pessoa ou organização que esteja mirando em algum objetivo a ser atingido deve planejar estrategicamente, certo?

Em resumo, o planejamento estabelece o que deve ser feito, por que deve ser feito e como deve ser feito. Ou seja, fornece as diretrizes tanto táticas quanto operacionais para conquistar as metas e objetivos estabelecidos.

OS BENEFÍCIOS DE FAZER O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

  1. Fortalecimento da motivação e senso de direção

    O primeiro benefício de um planejamento estratégico é o fato de ele fornecer informações relevantes sobre a atual situação da empresa, de modo confiável. Com esses dados em mãos, é possível ter a real noção do que foi alcançado e do que ainda precisa ser feito.

    A partir disso, cria-se um senso de direção que passa a nortear as próximas ações, tendo como foco o crescimento do negócio. E quando os colaboradores enxergam a direção para onde estão indo, aumenta a sua motivação para entregar os melhores resultados porque sabem da importância do seu papel para o alcance dos objetivos organizacionais.

     

  2. Priorização de tarefas e aumento da eficiência

    O planejamento define uma ordem de prioridade dos objetivos, o que facilita a identificação de quais ações são mais urgentes para fazer a priorização das tarefas e a organização dos cronogramas de entregas.

    Assim, é viável se preparar de forma estratégica para qualquer intervenção que ocorra no meio do caminho, calculando riscos e adicionando possíveis falhas em todo o planejamento, o que trás mais segurança sobre os caminhos a seguir e ajuda na criação de possíveis caminhos a seguir, caso haja imprevistos.

     

  3. Assertividade na tomada de decisões e maior capacidade de intervenção

    Também há a diminuição do risco de erros durante o processo, já que as ações se tornam mais assertivas uma vez que estão alinhadas à visão do negócio.

    A partir do momento em que se começa o desenvolvimento de um planejamento estratégico, é iniciada a coleta de dados e informações preciosas para que se consiga montar um plano, traçar a rota e alcançar o objetivo. Com isso, são analisados dados, resultados, informações e variáveis sobre o negócio e o mercado no qual se está inserido, adquirindo conhecimento e consequentemente, começando a tomar decisões mais assertivas.

    Veja aqui algumas tendências para o mercado de TI em 2024: https://kbase.com.br/2023/11/30/tendencias-e-projecoes-para-o-mercado-de-ti/

     

  4. Alinhamento de toda equipe e melhoria na comunicação

    Definir um planejamento também promove um maior alinhamento entre todas as equipes, que entendem que estão trabalhando juntas com o mesmo foco. Esse processo também permite aperfeiçoar os processos de comunicação e diminuir os ruídos, incentivando a colaboração dentro dos times e até entre as diferentes áreas.

    Outro grande benefício do planejamento estruturado é o aumento da participação dos colaboradores de todos os níveis hierárquicos. Dessa maneira, a companhia obtém um maior engajamento e comprometimento da equipe para a obtenção de resultados.

     

  5. Padronização e melhoria processos

    Processos são criados para serem repetidos e é uma das garantias de qualidade das operações. Padronizar é o primeiro passo tático de um planejamento.

    Primeiramente deve ser analisado o que está dando certo e o que está dando errado, diminuindo o risco de falhas, e possibilitando a previsibilidade de desafios no meio do caminho. Com o uso de tecnologia é possível automatizar tarefas repetitivas de forma confiável para garantir a segurança de todos os seus dados, de forma constante e consistente, e permitindo maior visibilidade para melhorias futuras no processo.

    Análises e Plano de Ação para fazer um Planejamento Estratégico

COMO FAZER UM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO?

Um resumo em 10 passos.

  1. Conheça o cenário:

    O primeiro passo para fazer um planejamento de TI é realizar uma análise do ambiente interno (organização) e externo (mercado). 

  2. Defina os pontos fortes e fracos:

    Entender os pontos fortes e vulnerabilidades da organização no que tange a TI, como também entender oportunidades e possíveis ameaças.

  3. Determine missão, visão e valores:

    Tendo esses três pontos (missão – a razão de existir; visão – aspirações e o que pretende atingir no futuro; e valores – que seriam os princípios que orientam o comportamento) bem definidos a empresa saberá a razão dela existir, as expectativas para o futuro e o que vai orientar o seu crescimento.

  4. Estabeleça objetivos e metas desejadas:

    Com objetivo, o que se pretende alcançar; e com as metas, o detalhamento (em números) do resultado que se deseja nas quatro perspectivas: financeira, mercadológica, processos internos e aprendizado & inovação.

  5. Defina seu público-alvo e personas:

    É o momento de definir qual o mercado em que a empresa poderá entrar com mais facilidade, usando suas forças para aproveitar as oportunidades e tentado se adequar ao ambiente da concorrência.

    É importante lembrar que um mercado-alvo é definido tanto pelas características dos consumidores como do produto ou serviço que é oferecido a eles.

  6. Defina as estratégias que serão usadas e indicadores de sucesso:

    A estratégia de uma organização deve ser desdobrada em partes menores para que ela seja factível e alcançável. Na formulação estratégica constam as iniciativas estratégicas, os temas e objetivos, ou seja, o “O que” será feito. Já o planejamento detalha o “Como” será feito, utilizando-se de planos de ação, projetos e programas.

  7. Desenvolva um plano de ação:

    Após isso é necessário que todos os envolvidos na execução tenham ciência do plano, com isso é possível definir objetivos e metas de conclusão, para que os gestores tenham ideia do que está sendo realizado.

  8. Monitore a execução:

    Realize avaliações regulares do progresso em relação aos objetivos estratégicos utilizando métricas e KPIs para monitorar o desempenho e identificar áreas que precisam de atenção ou ajuste.

  9. Ajuste o plano:

    Se ao monitorar as ações do planejamento, você verificar que mudanças devem ser feitas (em detrimento de prazos, orçamento ou mudanças organizacionais), elas devem ser implementadas o mais breve possível.

    Afinal, ambientes tecnológicos são dinâmicos e cabem mudanças quando elas fazem sentido.

  10. Avalie os resultados finais:

    Ter um plano é ter um rumo, mas você precisa reavaliar continuamente as metas e, se necessário, fazer alguns ajustes conforme as circunstâncias.

    Do contrário, se você seguir o plano original à risca desconsiderando o mercado, pode cometer erros e não aproveitar oportunidades ou detectar ameaças do mercado. Então, lembre-se de ser flexível e fazer as correções necessárias.

     

Aqui na Kbase nós gostamos de reforçar a necessidade de adaptar qualquer metodologia de planejamento estratégico para a realidade de cada negócio. Nós mesmos utilizamos uma metodologia que foi aplicada através de consultoria que atendesse às nossas necessidades.

Não há receita de bolo! O que afirmamos é a importância da realização do planejamento e como a sua inclusão fez diferença para o nosso negócio.